Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Baú musical

O tema é o amor. Na letra, na interpretação, no nosso ouvido e na escolha. São velharias ou talvez não. É um baú diversificado ou tenta ser.

O tema é o amor. Na letra, na interpretação, no nosso ouvido e na escolha. São velharias ou talvez não. É um baú diversificado ou tenta ser.

Baú musical

07
Ago17

Apita o comboio

Kalila

Este blog deixou de fazer sentido. 

Era um prazer encontrar música antiga para pôr aqui. Algo que não se ouvisse há muito tempo, que despertasse alguma recordação em alguém, que tivesse alguma coisa de especial para alguém... Mas o prazer que dava alimentá-lo perdeu-se na trabalheira em que se transformou a sua manutenção.  

Porque este blog tentou ser original mas já não é. Foi ganhando irmãozinhos e perdendo razão de ser. Porque o que publica outros publicam a seguir e muito do que tinha em rascunho não chegou a sair para não haver duplicação.

Este blog perdeu a paciência para percorrer a Blogosfera antes de publicar alguma coisa. Este blog está farto de ver uma e outra e outra publicação da mesma música! Este blog acha que a Blogosfera agradece se ficar por aqui.

Este blog vai apanhar o comboio da esperança em dias melhores. Onde, seja o que for que se publique, não se repita até à exaustão. Haja paciência, meus amigos!

Coincidências são normais, não chocam ninguém e até têm graça, imitações chateiam e ofendem a nossa inteligência. Toda a gente é livre de publicar o que entender, também este blog tem liberdade para o não fazer. 

 

Não havia comentários neste blog. Porque a música é uma questão de gosto e quem não gostasse simplesmente não ouvia. Também porque vocês são todos muito simpáticos e ainda se punham a elogiar em mim algo que é mérito dos artistas e não meu. Mas neste post vou abrir os comentários. Porque sinto que devo deixar que alguém comente se porventura o quiser fazer.

E apanhemos o comboio...

 

 

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Kalila 07.08.2017

    Amiga, as coincidências não me aborrecem, acho-lhes piada, o vazio de espírito que copia ideias ou conceitos é que me deita por terra.
    Este blog usava a arte musical (de outros, portanto) para construir um enleio despretensioso e apaixonado, nada era publicado ao acaso, tudo obedecia a um plano prévio. A partir do momento em que tive que alterar tudo e passei a ter grande dificuldade em conseguir publicar alguma coisa perdeu por completo o interesse e o gozo que me dava. Mais ainda nestes dias em que passei a dispor de menos tempo e em que tive que repensar tudo. Eu usava a arte dos outros muito respeitosamente, as obras estão no YouTube, portanto são públicas, mas algumas são-no abusivamente. Procurei sempre inteirar-me das condições das mesmas e isso fez-me pôr de parte várias versões. Com isso despoletei, sem querer, problemas para quem me imitava mas queria usar versões diferentes para a coisa não ser tão evidente. Enfim, isto é muito mais complicado do que possa parecer e a maior complicação é a minha falta de tempo atual. Mas disso falarei no "Amor às Kuartas", na quarta-feira.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Mais sobre mim

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    Em destaque no SAPO Blogs
    pub